Sem um telefone

Tenho dois telefones, um do trabalho e outro pessoal. No pessoal moram os meus amigos e no outro só trabalho e os contactos sos e fotos.

Um destes dias, há um mês, perdi o telefone pessoal.
Dei por isso a chegar ao trabalho e não estava comigo, tinha a certeza que estava em casa debaixo de qualquer coisa, prometi que procurava logo. O João reclamou, a Tânia também e passaram a usar o outro.

Tenho lá 6 grupos de Whatsapp mega activos, contactos todos, fotos, apps, uma vida. Deixei de saber de todos a toda a hora, deixei de receber fotos dos bebés que nascem e dos que fazem birras, das combinações de férias e às vezes dos jantares. Ninguém tem o meu número e por isso ninguém me liga, só os sos. Há semanas que o sr do cabaz da fruta e legumes não sabe a melhor hora para deixar lá o kit, mas lá se orienta. Os avisos de promoções e afins desapareceram e já nem da clínica do pêlo tenho novidades. Sou uma péssima amiga aos dias de hoje.

Devia estar desesperada mas está a saber-me tãoooooooo bem! Ainda não o encontrei, na verdade porque não o procurei. Ainda acho que anda por lá mas neste momento estou a curtir a falta de notificações em espera e saber tudo de todos. Vou sabendo mais devagar, se calhar fico assim para sempre, vou pensar nisso.

Entretanto quem quiser falar comigo ligue para o João ou envie mensagem por email ao fb, quando puder ligo de volta. Aos que tentaram e pensam que desapareci, estou viva da silva no worries.

rosa amado

Sem comentários:

Enviar um comentário