musicas da minha vida

No nosso carro ouve-me musica de crescidos, às vezes pimba que não sei se entra nessa categoria.

Hoje ia a caminho do trabalho, já depois de os deixar e começa a dar um clássico, REM- losing my religion. E de repente foi a loucura total, cantei, dancei, vibrei que nem uma louca. Não pela musica, que é optima não há duvidas mas porque me transportou para todo um passado perfeito.

De repente estava no algarve com os meus pais e irmãos, tecto do carro aberto (aquele pequeno mas que quando somos pequenos é a loucura), musica aos berros, tínhamos acabado de vir do minigolf, num dia que tinha dado para tudo (praia+ minigolf), ou de um restaurante de pizzas que lá havia onde fugíamos para apanhar bolas de golf (devia haver golf à farta naquela zona). A vida era perfeita, estávamos todos, todos contentes a cantar, os REM provavelmente.

Lembro-me bem das musicas que a minha mãe adorava, das só meu pai menos, talvez não fosse tão explicito. Lembro-me das musicas que púnhamos em repeat, sabíamos os cds de cor. E era uma cena de todos, pelo menos é a sensação que me dá.

Ora se puser o pau ao gato ou a musica da girafa estou a priva-los disto, que é tão bom. Para além da cultura musical que deixam de ter, porque ouvem na escola e em casa as mesmas coisas.

E claro, nós gostamos de ir a curtir um bom som, na maior parte das vezes, na outra é só musica pimba para o pagode. O joão fica doido, mas às vezes deixa.

Não sei se é de mim mas a musica transporta-me no tempo. Viva a música.

rosa amado

1 comentário:

  1. É tão bom!!
    Por aqui, às vezes até já damos com a Teresinha a "cantar" as músicas da rádio... :)

    ResponderEliminar