1T

Odeio.
Há o momento mágico de ver o risco no pauzinho e contar a notícia e depois detesto. As minhas inseguranças vêm todas ao de cima.

Por um lado sentes-te grávida mas por outro tens medo de já não estar e não ter passado dum sonho. Tenho gravidezes santas sem grandes sintomas que é bom mas me deixa pouco a que agarrar. Feitio terrível e um sono constante.

De dia escondes a barriga de todos no trabalho e a noite deliras com ela a crescer. A esquisofrenia das horas.

Passas horas a pensar como será e outras tantas a pensar se não for nada. Da primeira gravidez de todas às 8 semanas foi-se. Já toda a gente sabia e estava tudo sonhado. Foi-se. Na altura custou mas não tanto como esperaria. Custa hoje a insegurança de nunca sabermos se está tudo bem, no sítio e com o coração a bater como se quer. Acho que temos mais essa sensação porque passámos por isso. Não e drama porque se assim não fosse não tínhamos o né e nenhum podia ser melhor que ele.

Sempre que penso em engravidar juro a mim mesma que vou fingir que não sei de nada nos primeiros meses e de repente, ahh tou grávida, espetacular. Como tudo e tenho uma vida normal, de acordo com o tlc a probabilidade de correr bem e quase 100%. Mas depois não resisto ao pauzinho.

Estar grávida é uma coisa espetacular em conceito. Não seria nem metade sem os meus filhos mas não adoro estar grávida.  Principalmente no primeiro trimeste.
Ontem senti os primeiros pontapés ou qualquer coisa semelhante. E o principio do fim do meu mau feitio de 1T. Há esperança joka, há esperança.

rosa amado

1 comentário: