Quando estar na cama às nove é o paraíso

Deitas os putos e tudo o que queres é silêncio. Se os tens de adormecer passa pela cabeça a sensação de "se não queres dormir baza que durmo eu", algures antes de implementares isso a sanidade volta e pensas que a casa ficaria de pantanas e não ia ser bonito. O mesmo com o jantar, fazes sopa e dás-lhe tudo primeiro e eles demoram horas, e não querem os verdes, e só mais três ou mais cinco. E tu faminta à espera de suas majestades.
O melhor é pôr-los a brincar mas sem desarrumar muito. Mas brincar sem desarrumar acaba por não ser brincar e temos lego na casa toda. Até arrumas no fim mas dá um trabalhão, eles ajudam mas às tantas era mais fácil se fizesses tudo sozinha.
Ansiarei ardentemente pelo próximo sábado mas se fosse já amanhã não sei se estava preparada. São uma bênção e tal mas dão um trabalhão os putos, e o mais triste (que não tem nada de triste mas fica melhor no texto) é que quando isto tudo passar vais ter umas saudades loucas destes tempos. Vais passar o resto da vida a querer ter nódoas na roupa quando sais de casa e gente a trepar-te pelas pernas ou a chamarem 5 vezes até ouvires pela centésima vez o que têm para dizer e não tem grande interesse.
Engulo uma sopa e meto-me na cama às nove da noite, porque se vou ter saudades então o melhor é ter energia amanhã para começar tudo de novo.
Nem imagino se não tivesse ajuda, vamos pensar que esses vão ter ainda mais coisas para ter saudades porque foi ainda melhor. Era justo.
Não me lembro da última vez que aconteceu mas hoje vou prá cama às nove e vai saber a noite de gala, ou noite de filmezão no cinema cheia de pipocas, ou noitada de amigos ou até mesmo noite de primeiro date. Hoje a noite promete.

rosa amado

Sem comentários:

Enviar um comentário