vergonha de não seres um génio

não precisas de ser engenheiro nem doutor para fazer a diferença. 
toda a gente sabe disso. toda a gente sabe mas a verdade é que tens filhos e não imaginas nada menos do que cursos superiores xpto, com saídas óptimas para mercados de trabalho competitivos e de preferência em grandes empresas multinacionais. é verdade sonho com isso para eles também.

e relembras-te que ser o básico ás vezes é bom na mesma, chega a ser óptimo e indispensável. sei que tenho um filho mais fora do baralho e provavelmente não vai chegar a fazer mba, se fizer um curso superior já vai ser óptimo. 
numa primeira abordagem chegas a ter vergonha disso, porque o seu QI não vai dar para tudo, se calhar não, eu sei. já perdi a vergonha há um tempo. o que é e será chega e sobra porque não é pior ser carpinteiro, pintor ou outra coisa qualquer que goste. 
importante mesmo é que seja feliz e tenha uma vida que o realize (a segunda faz parte da primeira eu sei). e não, ser isto não é um prémio de consolação para quem não pode ser a engenheiro ou doutor é escolher ser outra coisa porque sim. 
e por isso quando penso profundamente sobre quão diferente és tu passo eu por ridícula por desvalorizar essas profissões tão verdadeiras como as que sonhei antes de nada. eu, a engenheira.

sei que serás exímio numa delas, a que mais gostares e que houver lugar para ti, porque tal como para os outros é preciso haver mercado. e depois deixar-te ir e viver. 
farás diferença à tua maneira como espero que todos os outros façam. não precisas de ser uma pessoa importante para todos mas era bom seres para alguns e quem sabe casar.

era isso que queria, para ti e para os outros, que dês o teu melhor no que fazes, sejas bem formado e orgulhoso da tua vida. não acho que seja assim tão diferente.

tal como o rapaz deste filme, que até podia ser meu amigo.


rosa amado

Sem comentários:

Enviar um comentário