EnCandeia

Estive uma semana na candeia, num campo de férias. Não é um campo de férias que todos conheçam, mas foi onde conheci a minha mãe e para mim é O campo de férias. Este campo é para crianças de instituições, é uma semana no verão dedicada a elas e somente a elas. Os animadores fazem por isso, passam o ano a trabalhar para no verão termos os campos e não faltar nada, nada do essencial. Chega o campo e vivem como se fosse a primeira vez. Passam o dia a mimar, a jogar, a ensinar músicas e jogos, a ouvir histórias e a receber o dobro. Já estive do outro lado durante alguns anos e é bem mais fácil, é mais fácil desistir, mais fácil descomplicar, é mais fácil fazer a birra. No entanto, é tão mais desafiante ser animadora, tão mais difícil facilitar, tão mais difícil descomplicar a birra e depois de muito cansaço acumulado e poucas horas de sono tudo parece mais complicado. Mas as crianças ensinam-nos a desligar do nosso mundo, do nosso dia a dia e ensinam-nos a estar ao nível deles, a saber do que eles gostam e a viver com os interesses de cada um. É dificil quando chega o último dia e temos que os deixar. Uma semana passa rápido e só de imaginar que depois daquela semana eu já não vou receber um abraço ou desconstruir uma birra, ou mostrar que nada é difícil se não complicarem... pelo menos ali, no nosso espaço, onde não entra quem não quer. Porém, é reconfortante quando se volta ao mundo exterior e à rotina e saber que tivemos uma semana completamente diferente, que fizemos a diferença e sobretudo que todos os dias conseguimos fazer felizes aquelas crianças.


Tânia Amado

Sem comentários:

Enviar um comentário