entre fraldas e noitadas

Acordas de manhã sem querer acordar. Um deles esperneia e vai acordar os outros. Salta a ir buscá-lo e deixa-lo na sala onde vão sendo despejados até estarmos em condições de tratar da coisa. Lá desci de olhos quase fechados, descarreguei o zé ao pé da princesa sofia e reparei nas luzes.

A combinação está nas luzes. Ela chega e apaga a do corredor para sabermos que chegou bem e não nos levantarmos a meio da noite para ir ver dela. 

Luzes todas acesas, sigo o rasto para o quarto e ninguém na cama. Não é de maluquices, e de certeza que está tudo bem, mas subo atrás do telefone a pensar nos passos que se dão quando desaparece alguém na noite. Nada de grave imagino mas às tantas alguém a levou. pânico de quem, a meio da noite, não sabe dde que terra é . 

Entro no quarto e digo ao joka que a tania não está. Levanta-se no mesmo segundo e fica tipo soldado firme e hirto à espera do resto da informação. “Vê o telefone”. Era o que ia fazer e fiz.
Mensagem às 2h30 descrita e articulada a explicar que ia dormir a casa de uma amiga que não queria ir para casa sozinha mas que não nos preocupássemos. Vinha a casa antes das aulas e fazia a mala para irmos logo. E adoro-te.

Ele caiu para o lado e dormiu o resto, e antes de adormecer disse que não gosta que não durma, já devia estar a dormir na verdade.
E entre fraldas e biberons tens sustos de meia-noite com noites que tem, sem maldade. Mas não deixa de ser o teu coração que por aí anda de bar e bar e acaba em casa da tal amiga. Há poucos anos éramos nós e sabemos bem como é. Não tem nada de mal se tens cabeça e faz parte do crescimento mas não deixa de ser assustador pensar que pode estar a passar por tudo aquilo naquela vida que passando o risco fica tudo riscado.


Temos sorte que não é de sustos nem maluquices. É bom vê-la crescer assim saudável, é saudável que saltemos da cama por isso.



rosa amado

1 comentário:

  1. É bem verdade, é bem assustador pensar nisso quando há bem pouco tempo éramos nós! As minhas Trincesas ainda são pequenas (uma com cinco e duas com dois) mas o tempo passa tão rápido! Num piscar de olhos já estarão a pedir as chaves do carro para sair com os amigos...e nós de coração nas mãos a desejar que cheguem bem a casa!

    ResponderEliminar