Fim de semana no Porto com amigos

Quinta à noite foi jantar com os amigos. Às 10 liga, apanhou o buraco de rede entre a sala e a cozinha onde fui beber  água e deu desligado. Ainda nem tinha recebido a mensagem de tentativa de contacto e já tinha aparecido o João com tanica ao telefone para falar comigo.

Queria dizer-me que sabia que era em cima da hora, e que percebia se disséssemos que não mas queria muito muito ir ao Porto com os amigos das missões e que os outros estavam todos a combinar. Meio baralhada com aos molhos disse que sim. Que tinha de garantir as responsabilidades delas como avançar com a carta e resto das coisas mas que podia. Disse-me logo que passaria o dia na escola antes de ir e todos os seguintes quando voltasse. Então podes ir, com juízo, podes ir a desliguei o telefone ainda com o copo e água por beber na mão.

E pensei melhor. Ela é responsável, os amigos são gaijos fixes, ela trabalha para estas coisas e está de férias. Faz todo o sentido ir. Enviei mensagem a reforçar a responsabilidade e dizer o que nos disseram a nós nessa altura "não te esqueças de quem és" e o "podes ir com juízo e desde que voltes sempre". Feito.

Avisei o João que concorda mas vive sempre melhor quando está por perto. Já  não a íamos ver. Ia com os mesmos do jantar para o Porto mas não era por isso que o jantar acabava mais cedo e nós cá temos que trabalhar. No dia seguinte claro que não as horas de trabalho eram diferentes.

À hora envia mensagem a dizer que vai e quando chega avisa.
Orgulhosa contava às amigas num jantar de como tava crescida a autorizar idas ao Porto quando uma delas me pergunta onde é que ela vai dormir lá. Boa pergunta realmente. Fuck não perguntei, importante realmente.
Imaginei que em casa de amigos à molhada mas não  faço ideia. Ou será que ela disse? Claramente tenho de fazer uma check list de dormidas fora de filhas universitárias. O melhor é nem lembrar esse ponto ao joka.

Máxima liberdade, máxima responsabilidade. Isso disse.
Lá chegou inteira e em tom de "claro que sei mas relembra lá" perguntei onde dormiram. Respondeu o esperado, onde nos deram dormida, as raparigas aqui e os rapazes ali em casa da Pia e de uma outra. Poucos banhos mas muita diversão.

Prova superada. Dela e minha. Isto de ser mãe de jovens adolescentes tem que se lhe diga.

rosa amado

Sem comentários:

Enviar um comentário