A arte de saber esperar

Das mais difíceis de ensinar, aquela sobre a qual acho que ainda tenho muito a aprender.

Mas sobre ensinar, raios dá trabalho ensina-los a saber esperar. 

Começam por não saber esperar para comer, nem dormir, nem colo, nem nada.
Depois a cena vai evoluindo a vários níveis mas ao nível do saber esperar so lá vai com muita paciência nossa.

Ensinar que se pede uma pizza ela demora 15 minutos a vir, se estamos a caminho do boda demora 2horas a chegar ou se o mano tá a dormir temos de esperar que acorde para brincar. Espetar um telemóvel ou um tablet é a cena mais fácil , lápis para desenhos o nível 2 e nada só esperar o nível 3 que dá direito a diploma de curso.
Já fizemos de todos, e quem nunca errou que atire a primeira pedra, mas cada vez mais me chateia o primeiro cenario e tento viver sem os lápis do segundo. Ou se não como vão eles um dia saber esperar pela mensagem de volta do engate, ou para por o dedo no ar antes de falar, ou no limite aguentar um corte de energia. Ou esperar pelas férias em agosto.

Crescemos já sem imaginar bem como era possível que as cartas viessem a cavalo ou como se vivia sem telefone e mesmo tendo aprendido a viver sem telemóvel hoje dificilmente sabemos viver sem ele. Não sei bem que impacto terá isso neles. Às tantas é bom mas para ja assusta-me só esta cena do tudo aqui e agora. Tudo no momento em que se pede e exatamente o que querem.

Mas se da trabalho ensinar a viver sem nada, fonix dá um trabalhão. Isso e garantir que não destruímos a vida das pessoas que têm a sorte de partilhar esses momentos connosco. Como o sr da mesa ao lado no restaurante ou na praia onde algum deles pode passar uma boa hora a pedir um gelado.


O desafio da semana é aguentarem civilizadamente uma hora na missa. Ao mesmo tempo que lhes custa estarem sentados no silêncio dei por mim a realizar que são aprendizagens importantissimas na vida. As de só estar a ouvir esperar.

Lá chegaremos.



rosa amado

1 comentário:

  1. Como te percebo! Também é uma das coisas que me custam mais ensinar-lhes, e acho tão importante...

    ResponderEliminar