ele não chora, berra

A história é simples: ele não chora, berra.

Não sei como nem porquê, não percebo o que quer e não acho que o trate de maneira diferente: mas ele teima em não me poupar aos berros. Quer colo, e manha e nem sequer é simpático para que lhe dê isso tudo. Estimulo que a que dê beijinhos, a que diga obrigada, adeus e tudo mais: mas ele nada.

Ponho-me a pensar e a única coisa de mais diferente que possa ter feito foi tê-lo largado mais vezes para sair com os outros 3: será disso? Uma mãe sente culpa de todas as coisas más que acontecem na vida deles, mesmo que seja uma culpa irracional. A verdade é que o larguei mais vezes, mas não podemos dizer ainda assim que tenha sido em exagero: ou terá sido? Fico confusa, e até baralhada, ao fim de um dia caótico como o de hoje em que até a dormir ele precisa de precisar de mim: até a dormir. O joka não está, por uma questão de sobrevivência deitei-o comigo, e ele de duas em duas horas, ainda que deitado mesmo ao meu lado, estica a mão para sentir que estou ali. Da primeira até achei querido, mas quando devolvo de volta o gesto e lhe dou a mão: afasta-me, nem quer saber de mimo.


O mundo não vê nada disto e a malta amiga que me vê tantas vezes com ele ao colo e até com ar querido e paciente (como os de amor inesgotável), dizem-me: "vê logo que ele é o preferido". É de loucos, mas ao mesmo tempo descansa-me passar a imagem de tanto amor, sendo que tantas vezes tudo o que me apetece é deita-lo pela janela.

rosa amado

1 comentário:

  1. O meu filho (único) é igualzinho. Tem agora dois anos, e sempre foi assim.

    Só quer colo mas não deixa dar beijinhos. Quer sentar-se ao nosso lado (pai e mãe) mas não lhe podemos por a mão na perna, que ele tira. Nas poucas noites que dormiu connosco foi exactamente isso, se lhe tocava berrava, mas queria saber que eu estava ali. Berra muito, mas hoje em dia menos. Mas berrou sem parar durante 3 meses, até ao 1 ano e 9 meses, para pedir coisas, para se queixar, e só porque sim.

    Hoje em dia já encosta a cabeça no meu ombro, foi o primeiro gesto de mimo que ele teve. É dificl mas são personalidades e temos de respeitar. ahahahha

    ResponderEliminar