sobre o que fica

chega-se e todos querem saber como foi, nós próprios tentamos resumir a cena na cabeça para arrumar ideias e seguir. Acontece sempre que se faz uma grande viagem, uma grande aventura. Assim é, tem sido.

e como foi?
Foi como esperado, e melhor. Foi chegar e viver com os que lá vivem, da maneira que vivem, e conhecermo-nos melhor. Eles mais pequenos chegam primeiro aos outros mais pequenos e nós

seguimos - o xavier nunca chegou muito lá na verdade. é dos berros, não foi grande espingarda nos afetos. Conhecemos cada um, vamos sabendo das duras histórias que os levam ali e nasce uma espécie de amor e sentido de provecção por cada um. não é a primeira vez que damos conta destas realidades de crianças em risco (abusadas de várias maneiras, não obrigatoriamente sexuais), a diferença desta vez foi que partilhamos vida com eles. tomamos pequeno almoço de pijama juntos, partilhamos tarefas diárias da casa, discussões, aproximações, jogos de mesa, castigos de canto, filmes de manta, videos de youtube, as casas de banho, os guardanapos de pano (que já sabíamos de cor), garrafas de fim de ano, embrulho de presentes de reis, caça ao caramelo e tanto mais.

e no fim de tudo como se resume? resume-se a cada um, ao que fomos e ao que trazemos de cada um e que fica para sempre nosso.

Ascen- uma tranquilidade e beleza parece fazer esquecer o caos. Não entra à primeira mas quando se aproxima quer conhecer-te bem. Apaixonada pelo zé, acabou correspondido.

Sandra P.- Morenita de olhos verdes incríveis, tem personalidade bem vincada mas derrete com qualquer mendigo de rua. Agradecida pelo que lhe dão e orgulhosa do que traz. Pede zumba logo pela manhã.

Stephi - Meiga até à ultima casa e com uma vontade incrível de agradar e de os agarrar. Eles não estavam nem aí mas ela não desistia de os querer apertar e mimar. Primeira voluntária em todas as tarefas e pede de tudo para depois dar aos outros. Guapa e guapissima/o faziam parte de todas as suas frases e comentárias. Coisa querida esta miúda.

Verónika - Tanto brinca com bonecas quanto se pinta de crescida para o reveillon. tem um sorriso meigo e chorava na noite que agradecíamos termo-nos conhecida. é doce de coração mas ve-se bem que tem muito amor ainda a haver. querida verónica vais ter tempo de crescer, e vais crescer bem.

Sandra C- a mais pequena das meninas, que usa totós e gosta de ténis com ródinhas. maria rapaz que quer ser mais rapariga mas não sabe se tem coragem. Furacão de emoções quando em stress e torcidita para chamar a atenção. Foi grande amiga do manel e pediu sempre que pode e em voz alta que voltássemos, nem que seja só por isso voltaremos. (é difícil a quem já perdeu tanto na vida pedir a alguém que volte sabendo que podem dizer que não).

Borja- Menino homem que foi largado à porta de casa das irmãs com 1 ano. tem asperger mas isso não importa nada, as pancadas e rotinas dele trazem tranqilidade aos outros e isso é tão bom de se ver. não tem fritanços mas também se assusta com multidões e num dos dias que foram passear ao centro comercial todos juntos fugiu da multidão. 30/45 minutos de panico de todos e uma task force incrível entre miúdos para encontrar o querido Borja. Dormem todos melhor com ele por perto e disso não há dúvidas.

Weslin- Sorriso de parar o transito e estatura de homenzão. Pareceu-nos a nós supertranquilo e na paz, as irmãs dizem que não, pode ser que esteja a mudar. Tivemos muito pouco com ele deu ara conhecer pouco mas conquistou desde logo o difícil Xavier. no fim da passagem dos reis agradeceu às irmãs tanto presente, disse que sabia não merecer tanto -não me vou esquecer tão cedo, pode ser que esteja mesmo a mudar.

Sebas - Escolheu a tania como preferida, percebo bem, eu também a escolheria all over again. Obcecado com bandeiras de países, adora mostrar e perguntar-te se sabes de onde é. tem 32 na sua coleção que estende em cima da cama e muda diáriamente por ordem alfabética. Vê-se que é um miúdo marcada pela vida dura e passado. custa-lhe multidões e grande confusões, agarrou-se à Tanica nesses momentos e sempre que pode. (se tiverem bandeiras em pano de qualquer país do mundo, apitem e fazemos-lhe chegar).

Luis- o mini da casa o maxi a mandar naquilo tudo. é o baby com tudo o que tem direito: birras e meiguice. Gosta de ver desenhos animados ao colo e mais de jogos de tabuleiro do que de balizas. Ficou delirante de partilhar cama e quarto com eles e foram só precisos 10 minutos para se tornar intimo do manel e zé. não me vou esquecer nunca da sua voz doce a atender o telefone à mãe e dizer em voz doce e mole que tinha estado de manha a rezar por ela na missa. 7 anos de miúda vida e muita mais e melhor ainda por viver.

Sobre as irmãs a dança é outra, um nível que ambiciono também para o meu papel de mãe, amiga e até mulher:
Irene - Responsável pela casa mesmo que não lhe tivessem dado esse cargo, é matriarca natural. Culpa de tudo e solução para tudo como todas as que estão nessa posição. Sentido de humor apurado e tranquilidade do conhecer e saber o que deve ser para cada um.

Rosa - a minha homônima e avó de todos. dedicada à cozinha onde punha amor e paciência em tudo o que fazia. perguntei-lhe se sempre quis ser irmã disse-me com a maior simplicidade que sim, que adorou os 72 anos da vida que teve até agora e não parece cansada disto, antes pelo contrário.

Carmen - Querida e sorridente foi a que conhecemos menos porque foi a barcelona a uma reunião que demorou alguns dias. Estávamos lá há menos de dois dias mas antes de sair fez questão de me oferecer todo o seu armário de casacos, se fossem necessários. muito querida e doce - curioso, realizo que tenho esse sentimento de tantos que lá estavam.

Rita/ritinha - a minha doce amiga com quem tinha estado tão pouco tempo na vida mas me tinha dito tanto. e confirmou tudo e muito mais. daquelas pessoas que quando ri, ri com o coração. transporta as alegrias de todos e está sempre atenta a tudo o que se possa passar ou fazer para melhorar vidas. tem gargalhada fácil e bem alta, braços grandes e compridos para abraços únicos e um sentido de despacho ao nível de super heróis. humildade de sentimentos mas grandeza de emoções. adorei estar contigo (mais tempo que nunca) e que os meus te conhecessem de perto. que continuemos sempre assim por perto uma da outra.

e se me perguntarem como foi, foi isto. coração quente 10 dias, ainda que com temperaturas negativas do lado de fora.

Obrigada queridos amigos espanhóis por nos receberem em casa e nos darem mundo.

João B. Amado

Sem comentários:

Enviar um comentário