na segunda [noite] a coisa começa a compor-se




[escrevo para agradecer todas as mensagens queridas e o interesse em entrarem em aventuras semelhantes. vou explicar um bocadinho mas sobre o projecto. sobre a criança e a situação especifica por protecção dela não especificaremos muito, até porque isso para aqui não é o mais importante. Chamemos-lhe Martim para facilitar, e assim sempre brinco à coisa de e se tivesse chamado Martim ao Xavier]


A segunda noite corre melhor, conhecemos-nos todos melhor e já nos sentimos mais confortáveis. não posso dizer que somos família, porque ainda não somos e nunca seremos, mas somos amigos.

passo a vida a cascar no meu xavi, também merece que diga que tem sido incrivel. não se importa de partilhar colo e, mesmo sem perceber, parece que percebe que ele precisa mais agora- então ele cede. empresta a cama, os brinquedos, a roupa e o colo da mãe. o "Martim" arranca-lhe tudo da mão e a chucha para o chatear, ele refila mas não lhe bate de volta. 

explicamos-lhe que o martim vinha cá passar uns dias e eles não perguntaram porquê aceitaram e está tudo bem. tratam dele, tentam acalma-lo se está triste e aceitam bem a sua presença. a lili tem passado o dia em casa com ele porque está de férias e o martim já reconhece nela um colo querido. ontem não fazia nada sem ela e ela super maternal fazia tudo para lhe arrancar sorrisos.

come mal mas tem comido, não gosta de dormir sozinho mas fazemos-lhe companhia.

são só uns dias e tudo isto acontece porque estamos inscritos como família de acolhimento no projecto Amigos p'ra vida. Eles identificam necessidades e nós oferecemos-nos para acolher esta criança que durante uns dias não tinha onde ficar. daqui ele sairá para um projecto de vida estabelecido pelas pessoas que acompanham o processo dele. 

depois disto não saberemos mais dele, sabemos só que nestes dias fizemos o melhor para que se sinta confortável. ele não se vai lembrar de nós mas vai sempre guardar, lá no fundo do inconsciente, este mimo e esta maneira de gostar.

rosa amado

5 comentários:

  1. Fantastico exemplo, ja com uma casa cheia e sempre um espacinho para acolher quem precisa. Mais amados neste mundo !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigda Mariana, temos muita sorte com a vida que temos. quem vem traz sempre muito mais do que leva. beijão

      Eliminar
    2. Obrigada Rosa. Francamente inspirador o vosso exemplo, testemunho de amar o proximo. Beijos grandes.

      Eliminar