a história dos dois pauzinhos, na verdade da mulher louca e dos dois riscos

Não era suposto e por isso mesmo até tenho o DIU (too much information I know) mas a verdade é que acontece. Raramente mas eu sou de raridades.

Normalmente começa com umas dores de barriga e tás cansada, o normal, mas desta há qualquer coisa diferente achas tu. Começaste dieta há um mês e a barriga de repente volta a estar gigante, e a tensão baixa e sei lá mais o quê mas a imaginação é fértil. Não queres nada daquilo mas a verdade é que de repente já tás a alucinar a fazer filmes de como foi acontecer e semanas e quase nomes. Se conseguires aquela janela de oportunidade de lucidez talvez consigas dar a volta e voltar ao estado (de loucura) normal, se não tás tramada e não há volta a dar. Talvez seja a isto que chamam gravidez histérica, numa versão para amadores imagino.

A determinada altura começas a tentar passar a alucinação para o pai da criança e ele começa racionalmente a dizer-te que não é possível, homem sensato. Depois, e porque mulher é bicho teimoso, desfazes-lhe a paciência até a um ponto que ele deseja que tudo aquilo seja realmente causa de uma gravidez aguda. Raios estamos os dois minados nesta fase.

Aí volta a racionalidade à mulher insana que teima em que não pode ser e é ridículo mas só consegue imaginar barrigas gigantes cheias de crianças. Ponto final diz ele, vamos comprar  um teste e resolver.
Acontece tudo a horas normais e podias até ter comprado o tal teste no meio das compras do mês e ninguém tinha dado por isso mas não: acabas a ir à farmácia de serviço.

Entras a medo e sussuras que querer um teste de gravidez. Aliança no dedo e idade para ter juízo não parecem ser características visíveis e por isso ainda dás uma achega na conversa com um "pois  não é suposto, e não top de certeza mas sabe como é: é mesmo para tirar as teimas". Não sei se saberá mas a verdade é que se deve estar pouco lidxando, não tem nada a ver com a história quer aviar com um sorriso e siga o próximo, mas tu claro achas que tás em pecado capital e há que justificar.
Escondes o mais que podes e de repente já só pensas em chichi. Família ao barrote no carro e começamos a falar em código tal é o estado de nervos. Páras no primeiro café manhoso e deixas o carro e a família em 4 pistas. Chichi para o pauzinho e arruma a trouxa que o resultado se vê a dois no caminho de volta.

Guardado no fundo do saco seguimos os dois em primeira num estado de nervos de primeiro beijo. Às tantas passam uns minutos e ele sussurra para eu espreitar, espreito e vejo dois riscos. Pânico no estadio: 2 RISCOS. fonix mas isso era grávida ou não? Começo em suores frios e o joka também já com ar sério. Mas tem dias como? Fonix sei lá tem duas, se tivesse só uma era garantido que não tava ora agora duas já não sei mas acho que  quer dizer que sim. Fonix já fiz isto tantas (4) vezes e nunca sei a resposta certa. Em minha defesa não destingo a direita da esquerda anyways aqui é mesmo uma questão de vida ou não vida.

Stop: Onde estão as instruções?
Boa, deixei na tal casa de banho manhosa para não deixar rasto.
Chegamos ao destino, jantar de amigos e um sorrisão amarelo, o teste vai ter de esperar. Ou talvez não fazemos sinais para googlar a coisa. Ele trata do resultado e tu não descolas da expressão, ainda que estejam no meio da multidão.
Minutos depois respiram os dois de alívio, um dos riscos tava pro lado errado. Ufaa. Era bom mas estamos muita bem assim e não está nos planos mais. Abraço e um shot de vinho.
Enquanto me(nos) lembrar(mos) desta não repetimos a graça. Coisa para mais 3/4 anos.
Quanto ao resto é fazer abdominais e investir no bom petisco que isto de bebés só mesmo na loucura.
Raio de susto. E pensar em abrir uma coisa de pauzinhos  de chichi que isto em havendo mais uma malta louca como eu, deve ser um negócio da China.


rosa amado

Sem comentários:

Enviar um comentário