A nossa noite romântica

Ontem antes de ir para a cama passei pelo quarto deles e tive a certeza que o zé estava com dores de barriga. Tem imensas vezes, vá algumas. Ontem ou era isso ou eu com o coração apertado a pensar que daqui a dois dias já tem dois anos.

Segundo o site da gap passa a ser um todler e deixa de ser um bebé. E o que fazem ao meu bebé?!
A coisa boa deste meu bebé e que é mais bebé mais tempo. Não vai ser assim para sempre, vai ser homem com os outros. Mas no caminho é mais bebezão e é delicioso. Estou a aproveitar o mais que posso.

Tem o tamanho perfeito para andar ao colo, tem mimo de bebé, chucha no dedo, em vários e as vezes dá-me um dos dedos com a certeza que me dá o melhor do mundo. É delicioso.

Peguei nele e enfiei-o na minha cama (inédito, nunca aconteceu desde que nasceu. Fora a noite em que respirou mal) a dar imensas festinhas na barriga para as minhas dores imaginárias. Tirou a minha mão da barriga dele e lá se deitou como queria a dormir. Não me ligou boi. Sua em bica e mexe-se de um lado para o outro, pontapés por todo o lado e lá se foi a minha noite romântica em conchinha.

Quando o João veio para a cama lá o levou de volta e ele não se importou nada. Sacana.

Não tarda tá um crescido e lá se vai o meu bebé, até lá vou aproveitando que não cresce assim tão rápido esta minha coisa boa.

rosa amado

Sem comentários:

Enviar um comentário