11/21/2022

Lição deste dia, com tpc

 



Não aceito muito bem criticas acho. Tenho a certeza, cada vez mais, disso. Engraçado que não conseguia bem ver isso. Via só mais ou menos. Acho que tenho de melhorar isso. Todos nós falhamos, todos nos falhamos muitas vezes ao dia e tudo bem. Se não for no essencial, no estrutural, no ético acho que vamos ficar bem. 


E eu ficarei ainda melhor. Se aceitar melhor a critica passarei a ser mais branda comigo e com os outros. Perco o medo todo. Medo que acho que não tenho, curioso não?

Tenho de pensar que tpc vai ser este. Aceito sugestões. Pensarei nas minhas.





8/01/2022

rosinhaforadanet take 2

Há um ano estávamos isolados em casa mas não podíamos dizer a ninguém, a minha madrasta não podia saber, tem pânico de covid e tinha estado brevemente com o manel na semana antes. Há um ano nessa altura essa foi a gota de água para sair das redes. Andava a pensar nisso há muito tempo e lá foi, achei que não voltaria ao mesmo tempo que foi preciso reaprender a viver sem partilhar e ampliar tudo de pequeno e às vezes grandes que me acontece na vida.

Há um ano estava louca por começar o processo de ser familia de acolhimento, este ano ando louca com a ineficiência do processo sobre o qual não posso falar, posso só dizer que não ha nenhum racional para esta criança ainda estar connoso, o que irrita bastante a pensar em todas as que estão no limbo e em circunstâncias bem diferentes. O miúdo está optimo em termos de desenvolvimento, diria que bem demais sendo que não pára um segundo quieto, sempre à beira da asneira a que chamam exploração sensorial. Raios, uma trabalheira.

Os outros miudos nos campos de férias e estamos só com o baby e o martim que está super perdido. Ontem fomos visita-los ao campo e martim ganhou nova vida enquanto lá estivemos, corria alegre pelos relvados ao lado dos manos, volta para casa e parece que lhe falta meio coração. É querido de ver como gostam tanto uns dos outros, será que isso muda um dia? Espero que não mas a vida diz que muitas vezes sim não é?

Soube a semana passada que o meu projecto na edp acabou e ainda estou de luto, tenho agora de procurar outro e tenho tantas duvidas em mim no que fez com que este chegasse aqui que ando em lutas internas sem fim. É difícil aceitar às vezes que há coisas que nos ultrapassam largamente ao mesmo tempo é essa mesma realidade que te deixa dormir descansado num negócio que não é teu, mas claramente sentes uma beca como sendo se não não vivias tanto a cena. Vou começar um caminho de introspecção no discernimento do que vem a seguir, penso pela primeira vez sair desta empresa que me ensinou e deu tanto. Vamos ver onde isto vai sendo que o descernimento ainda agora começou.

E é isto, que vou eu dizer de mim daqui a um ano? Rosinhaforadanet tem-me feito bem à droga que é estar fora do telemóvel, ainda estou em fase de ressaca pelo que é um tema sensivel as emoções ahaha..depois dos quilos a menos voltarei fesca e fofa.

Em nota de remate tenho levado o martim de coração partido a comer gelados, resolve quase todos os problemas e o resultado é o que se vê e como me sinto tantas vezes na avalanche da vida. 

Boas ferias internet

2/25/2022

Tudo o que precisas de saber de processos e direitos quando tens um filho com necessidades especiais

 a primeira coisa a dizer se chegas aqui com um special baby nos braços (ou na barriga) é: Parabéns por esse bebé querido. no meio do caos de tantos exames se calhar ainda não foi possível parar para descansar,  respirar e festejar esta vida, espero que seja possível brevemente.

2/24/2022

rebentou a guerra

 rebentou e o mundo acorda com imagens horríveis de explosão na Ucrânia.

pensamos no que seria se fosse connosco, com o nosso país, a nossa família. pensamos nos impactos que tem em nós e não dá bem ainda para ver, mas certo nada de bom. perdemos os minutos a pensar o que podíamos fazer para ajudar e concluímos rapidamente que nada.

depois passam os dias vamos habituar-nos a isto. é triste. se calhar começamos a sentir um impacto aqui e ali nos preços, somos sensíveis a preços. mas começamos a esquecer as vidas porque de facto é difícil viver constantemente a pensar no sofrimento de alguém. passamos mais dias quase esquecemos e os destaques nas noticias passam para o minuto 20 ou 40 com resumos de 2,5 minutos do que são vidas desfeitas.

e a vida continua, a vida completamente marada em que pessoas como nós sofrem e nós não podemos fazer nada e seguimos a nossa vida.

em moçambique com dois miudos. ficaram como os deixei. não sei se mudou alguma coisa neles, mudou muito em mim


em moçambique com dois miúdos. ficaram como os deixei. não sei se mudou alguma coisa neles, mudou muito em mim




2/15/2022

inclusão social, RTP, PEI, SEI e sabe Deus. o caminho que fizemos até aqui

zezicos a divagar com jessica depois do banho. sempre que tem tempo é isto




não tinha uma opinião pensada antes do zé nascer, o manel andava numa escola super inclusiva com muitos muitos com necessidades especiais porque me pareceu sempre bem sem ser preciso pensar tanto mais no assunto.

depois do zé magia claro que tive de estudar o tema a fundo e confesso que a minha opinião sobre o tema tem mudado. tem mudado por várias razões, talvez a maior delas seja a minha maturidade e maturidade sobre o assunto. 
sou a favor de uma imersão total numa turma dita normal, para o caso do meu zé. percebo hoje melhor que não se pode generalizar, isso é um erro em tudo e aqui não é diferente. 
puxei durante anos para que não incluíssem o zé em programas especiais, os PEIs e SEIs e coisas que nem sei bem o nome. era para mim, para nós, importante que o zé fosse avaliado segundo os mesmos critérios porque a sociedade não vai nunca adaptar-se a ele, ele terá de se adaptar à sociedade e por isso eu precisava de saber ao certo onde estava ele em falta para trabalhar a fundo e chegar lá. percebi melhor como mãe, não só do zé, que ás vezes não se chega completamente lá, e isso tá bem desde que não seja por desleixo ou falta de trabalho. chegou então o dia em que deixei adaptar o programa com medidas universais.
também falam algures num RTP e foi esse o primeiro passo para dar o kickoff dos apoios do zé na escola. vou dizer-vos que penso muito antes de decidir em termos da logica da coisa e depois simplesmente entrego a quem no dia a dia trata dele, se o deixo lá é porque confio, se  tiver razões em contrário mais vale então tirar. e por isso deixo acontecer.

Hoje o zé está completamente incluído na turma mas não faz todos os trabalhos da turma. não tem os mesmos trabalhos de casa, tem alias muito menos do que eu gostaria, mas cumpre as mesmas disciplinas com outro grau de exigência. foi um caminho até chegar aqui. acredito que tenha sido um caminho mais meu interno do que outra coisa.

acho esta inclusão fundamental ao bom desenvolvimento do zé e de todos. ao mesmo tempo consigo desde já antecipar que eles será sempre mais infantil do que a sua idade e por isso precisarei de preparar um futuro grupo onde ele também se possa incluir nas coisas que valoriza e não se sinta sempre abaixo. não é uma coisa que que cause desde já ansiedade. foi bom realizar que se apaixonou há uns anos pela sua Lu que tem também cenas mais infantis. ele vai mostrar-nos o caminho pelos seus interesses e nós vamos provocar encontros com miúdos e miudas com interesse para a sua vida de adolescente e adulto. gosto de pensar em tantas opções que há lá fora e entre o grupo de amigas que hoje tenho com filhos com necessidades especiais pensamos muitas vezes em soluções de inclusão neste mundo a velocidade dois mil, sem tempo para olhar para quem vem mais devagar.
espero que ainda assim pelo caminho muitos se toquem e não se importem de abrandar para olhar e ver a maravilha do ritmo diferente. tenho muita esperança que a empatia do zé nunca acabe, e nunca deixe de tocar o mundo. sabendo que mais pequeninos são sempre mais queridinhos, todos, e o zé também.

procurei PEI e SEI e RTP e sabe Deus e nada disto aparece com clareza o que é nem para que serve. tentarei fazer esse glossário para ajudar nabos como eu a desbravar estes caminhos da entrega social.


1/18/2022

Redes sociais. instagram. Sobre um possível regresso ou sobre o regresso possível 😜

tem arvores de fruto, tem tigelas da água, tem regador, tem mangueira e tem 2 crianças a brincar com agua de isto tudo

 As novidades são que provavelmente vou voltar às redes. Yes, tou a pensar nisso pela primeira em 6 meses. Tou a adorar este timeout, tanto tanto que custa pensar em voltar mas ao mesmo tempo 3 coisas aconteceram esta semana que me deixaram a pensar. Uma sobre o acolhimento, o desconhecimento sobre toda esta realidade e o impacto que podia ter partilhar esta experiência que não sendo só rosas, tem sido incrível. Importante notar que não o faço por conteúdos e na escolha prefiro o acolhimento a conteúdos mas se for melhor para os dois casar talvez possam viver felizes para sempre. Olha que linda a poesia.


Depois porque se lembraram de mim para um projecto muito fixe e tive a oportunidade de dar uma pequena, talvez micro, contribuição, mas poder saber que existe e fazer parte made my day. Quero continuar a ser lembrada nestas coisas e se tiver out naturalmente estou out e passa por mim no rossio. 


Last but not the least uma pessoa que precisava de uma boa conversa sobre t21, de mãe para mãe e sentiu que eu não quereria falar porque saí das redes e abriu-me um buraco no coração pensar se mais gente sentiu isso e quantas partilhas ando eu a falhar. Não quero isso, gosto de poder estar e partilhar experiências.


Nao gosto da intensidade e do tempo que nos agarra ao telefone. Não quero voltar a ser heavy user e não sei bem como fazer halfway. Nem isto nem nada na verdade e por isso pensarei sobre o tema na prespectiva de voltar. 


Are you ready for the come back? Eu claramente ainda não mas se calhar um dia estarei


1/10/2022

férias de Natal, time to stop. dias maravilhosos

 foram dias maravilhosos.

fomos aos trampolins, fomos ver as cabras do tio zé, tirar leite e pegar ao colo. fomos a todos os parques de monsanto e quando deu comemos hamburguers com batatas. tivemos com imensos amigos, tivemos tempo. fomos a todo o lado e ficámos em casa. foi bom ver com tempo cada um, sem ser no meio de tudo. tentar nao esquecer a importância disso, a importancia de ter tempo para ver só tudo o que vamos sendo.

o zé tem crescido demais. tem expressões super cómicas que saem no contexto certo como quando alguma coisa insólita acontece e ele diz em desabafo "enfim...". tá mais respondão, às vezes demais. com os crescidos precisa de respeitar melhor a autoriadade, com as crianças está fixe, dá-lhes um aperto na altura certa e pede desculpa quando percebe que foi longe demais. continua apaixonado pela sua luisa molais, diz que lhe vai por um anel e dar beijinhos na boca. espero que dê milhares um dia. passámos lá no Natal a cantar uma serenata do Panda para que aprendam que no amor e amizade nao há vergonhas.

manel teve muitas, como tem de várias coisas alias, é parecido com pai. mas sei sei adora uma boa loucura. outro muito crescido destes dias. começamos o mês de isolamento+férias com o adolescente a embirrar com os manos, acabamos com todos aos abraços e a ajudarem-se demais. O manel segue com o seu relógio smart que não tem formato de telefone porque a mãe nao quer grandes ecrãs, nem playstations embora saiba a mãe que o mundo a acha louca. o pai concorda muitas vezes, principalmente quando os vê montar bancas de limonada, fazer teleféricos entre árvores ou ppts de negócios futuros que fazem em sociedade de irmãos. um dia vou cumprir-lhe o sonho de uma consola, para já queria só dar-te o sonho de poderes fazer coisas que se não fizeres agora dificilmente farás mais 
à frente, e contamina desde logo os manos. não teve notas excelentes e está bem mais preguiçoso. arrancar umas páginas de leitura para não dar os erros da mãe parece um suplicio mas lá chegamos com alguma pouca paciência. disse outro dia que eu gritava muito, reconheço que tenho gritado uma beca com a adolescência, não me reconheço como gritante mas há que reconhecer que se ele diz acontece mais do que devia.

o xavi continua com a sua magia inexplicável. apaixona todos e não se apaixona por ninguém, diz que não quer namoradas. quer um dia morar sozinho e receber quem ele bem quiser. é um homem livre aha. cada vez mais espiritual não há duvida que já vai atrasado para a catequese. noutro dia entre a praia grande e lisboa adormeceu e acordou minutos depois a perguntar se era possível dar um abraço a Deus, raios não sei de onde tira tantos pensamentos maiores que ele. tem uma energia sem fim que faz com que não ande: salte. e lá vai ele saltitando entre as brincadeiras dos irmão. não me parece grande espingarda no que toca a estudos mas já revela uma mão incrível para o pincel, teremos artista?

martim amado continua o eterno bebé ainda que com outro mais mini cá em casa. continua a invadir a nossa cama todas as noites e a exigir dormir enrolado no nosso abraço. alterna entra pai e mãe e volta a agarrar com mais força sempre que me levanto para dar leite ao mini. largou a chucha e o biberon com o Pai Natal mas sem grande convicção, aceitou porque eu mãe achei que era mimo demais. em casa só faz xixi e cocó na casa de banho quando quer e goza bem o facto de saber que nós aceitamos quase tudo do nosso bebé. cada vez mais independente mudou hoje para a escola dos manos, saltou da cama cheio de vontade acima de tudo porque sabia que na mochila mandava bolachas de chocolate deliciosas como ele. cortei-lhe o cabelo e quando vi que os caracóis quase se iam embora parei a meio, ficou um patego mas nao me importo. não estou preparada para largar os caracois loiros do meu baby pequenino.

outra coisa maravilhosa destas férias foi esta tanto tempo com a minha tanica querida que teve connosco tantos dias em tantos programas. ela e seu banardo que adoramos, é maravilhoso ver que moram noutra casa mas encaixam ainda em tudo na nossa. programas só nossos de miúdas, programas só deles de jogos de mesa e tantos dela com os miúdos a pintar tudo e um par de botas. as coisas fluem e gosto de a ver feliz assim.

todos e cada um pegam e levam um bocadinho ao baby que temos acolhido e sobre o qual não me vou alongar. com tantos não deixa de ocupar um lugar muito especial entre nós e já ninguém passa sem deixar um bocadinho de riso dobrado o rei das pregas.

foram estes os nossos dias. joão com trabalho novo e todo esse ajuste, nós os outros tivemos só a curtir sem pensar muito no que esperava o resto do mundo. escrever neste diário que espero um dia reler


dois sofás, mantas, pijamas e todos eles ali refastelados


martim de caracois farfalhudos para assinalar a fase em que eu recusava a ficar sem caracois

ter amigos faz sempre parte de todos os dias perfeitos. ver o por do sol no mar marca ainda mais pontos




zé maria a pegar ao colo numa cabra quase do tamanho dele

chafurdar na lama dos dois miudos

zé e cabra num date

xavi de cuecas mesmo antes de mergulhar em dezembro na piscina

os cinco ao colo uns dos outros, de amarelo em casa do avô tonas

1/04/2022

Férias, vem ai o Natal. Dias de parar

 Depois de dezembro a abrir e daquela sensação de que não podemos largar nada, larguei tudo e fiquei só com eles aqui. Amigos que chegam para almoçar outros que acabam por dormir e todos felizes. A logística da casa é o hobby na ordem do dia e tudo bem. Maquinas da loiça e da roupa passam a entreterem no meio de miúdos a correr e copos de vinho.

Quero uma casa destas para receber toda a vida amigos é a certeza que tenho e ainda não sei como vou conseguir. Às vezes consome-me e não devia, como tantas outras coisas ridículas. Outras penso que tem mesmo de me consumir para conseguir ter a todo o custo, é a nossa cara. É do que somos feitos e esta casa é mesmo isto.

Estamos na praia grande em cima do mar, a casa de todas as emoções, as melhores de todas e alguns apertos pelo que se tem perdido e pelo espaço que temos medo de vir a perder. Absurdo que vivamos no medo, tantas coisas absurdas para resolver em 2022.

Este será o ano disso, de me desfazer do que sei que me tira alguma paz. Não são muitas coisas é isto e o impacto negativo e muito desmedido de algumas pessoas em mim. Vem 2022. 

Tenho Projectos incríveis para ti, vários que podem mudar a vida e um deles talvez já para janeiro.

Bom ano a todos os que continuam a procurar por nós aqui. É verdadeiramente emocionante ver e sentir. Sair das redes foi um passo inesperado em 21 e tem sabido bem, muito bem, mas não vou mentir que sinto falta desse amor, talvez me fizesse sentir mais do que sou mas isso na terra dos humanos sabe inegavelmente bem.   Desafio quem acha o contrario a um duelo na caixa de comentários ahah


Bom ano dia de chuva que tragas tudo o que nem sei que preciso e leves o resto


o clássico de alinhar a família debaixo da arvore de Natal


12/22/2021

Natal, que este seja abundância

 tenho pensado nisto da abundância, que de facto marca esta época e durante muito tempo via isso no mau sentido do desperdício (que existe de facto) mas é também essencial à magia: abundância de coisas boas. abundância de familia a quem valoriza isso e da maneira como der para ser, idealmente juntinhos mas não dando que não nos larguemos na mesma: no acompanhamento à janela, nos mimos à porta, nas conversas. podemos ser presentes sem estar colados, se isso não for uma possibilidade.

abundância de uma ou outra coisa que gostamos de comer e não comemos nunca e garantir que guardamos qualquer coisa de especial para esse dia de Festa. tentar parar e olhar à volta tudo o que temos. ver a alegria dos miúdos e capacidade de se surpreenderem com tudo. nas logísticas do dia é difícil para mim parar segundos, mas a fralda que aguente mais uma beca que desta vou contemplar a cena, tenho já feito disso e pretendo continuar e deixar ver o caos dançar.

escrevo sempre uma carta do Pai Natal para a família que descreve porque escolheu o quê para cada, este ano, sendo que o manel está por dentro de que a bitch do Menino Jesus somos nós e não o velho das barbas, disse que talvez não fizesse que ninguém ligava, manel disse logo: não mãe, isso é o melhor do Natal! maravilha, fez o meu.

o encadeamento de tudo o que fazemos uns pelos outros é de facto o Natal. Os sonhos que vamos comprar onde alguém gosta, que juntamos a tradição da avó e temperamos com o nariz de rena luminosa dos tempos actuais marcam no detalhe onde não mora o diabo, mora Jesus. entrelaçar as luzes que piscam nas camisolas deles, ou na coroa ou sabe Deus onde mais nos apetecer que brilhe. os detalhes dos embrulhos, das etiquetas, das trocas de olhares entre pais a coordenar entradas, da farinha no chão a fingir neve e dos caos que deixa à passagem da alegria.

tudo isto é em grande mesmo que não seja em muitos recursos. a abundância de amor vai estar, essa ninguém nos tira.


nós todos, vestidos todos em modo Natal com a galinha a molho mesmo debaixo da arvore de Natal

xavier e zé abraçados com gorros de natal e camisolas beges com luzes que piscam piscam

familia pipoca na rua no dia de Natal, com as camisolas de luzes na noite serrada a olhar para os primos lá em cima em casa fechados


12/21/2021

a saga das vacinas

Sem redes realizo o bom que é não ter em mim a opinião de milhares de pessoas que sabem tanto como eu. Que têm medo dos dois cenarios e tão a dar o melhor no que sabem. Não ter essa cena é de facto melhor. Informo-me, pergunto a quem a opinião me importa no momento em que tou disponível para ouvir. Faço o meu processo de decisão no meu tempo e sigo passo a passo. Tomo a decisão e não continuo a ser impactada pelas dos outros, só nas notícias, na família ou amigos.


Deve ser essa mesma gestão de medos que alguns jovens passam na fase mais insegura do mundo. É tramadinho.


Sobre isto nem vou dizer o que fiz ou o que vou fazer, digo só que preferia nao ter o peso destas decisões com tanta incerteza.


É decidir e siguir. Whatever that means vai ficar tudo bem.


12/11/2021

Be careful for what you wish for

 




10 dias depois de uma temporada louca de muitas emoções e nem todas muito fixes, faço o teste para sair e estou positiva. Miudos não, bem o baby está de certeza, tinha ficado ao colo do joao no mimo muito tempo mesmo antes de ele saber que tinha covid. Ja desconfio ha uns dias mas sem papelada e sendo que nao estava grave  nao conseguimos saber.

Algures esta semana chorei o impossível de conseguir assegurar tudo no trabalho e miúdos e casa e tudo o que se sabe, mas não fui capaz de abdicar de nenhum porque adoro todos e quero seguir a história em todos e meter a mão na massa. Arranjei ferramentas, uma babysitter imune que os levava à praia a ver o mar sempre que dava e terapias online para o Zé que me custa sempre mais que fique largado com tanfo potencial que ele tem para aprender.

A raiva manteve-se em mim dias de mais, zanguei-me com quase tudo pelo cansaco w pelas hormonas que têm sempre aquelas alturas extra mesmo a calhar. Depois de me zangar tudo (fico a pensar se é possível caminho sem antes passar por isto), surge esta noticia. Foi decidir a logística, decidirmos que vão com o joao para a praia grande os miudos. Baby comigo e esquecer as saudades e o corte abrupto do tudo ao nada para me focar uma semana em mim.

Aproveitar o tempo. Fazer um deep dive de psicologia se calhar, tou a procura de soluçoes para isso, achava nice. Ler, dormir e ter tempo para pensar reflectidamente no trabalho sem um multitasking constante.


Horas depois, e mesmo com uma passagem pelas urgências para auscultar o bicho do mini, parece tudo mais claro: foi mesmo isto que eu pedi estes ultimos 10 dias e agora está aqui. E quando acabar vou a todas as festas dançar os jantares de Natal perdidos.

Estamos todos fisicamente bem, focar no emocional e dar-me esse mimo parece o certo de fazer.

Pode tudo mudar ao sabor dos testes mas para hoje e espero que varios dias o plano é esse e vai ser incrível. Vem covid que tratamos os dois de mim



12/02/2021

quando o joão testou positivo

 foi ontem. depois dos infinitos dias em que disse que tinha sintomas e quase se agarrava sozinho ao ventilador: ontem foi o dia. fechou-se em colares, fiquei eu com eles. 5 crianças e eu, não sei qual de nós sairá desta em pior estado.

ainda não me passou a fase de fúria pelo que tudo o que lerão a seguir vem nesse seguimento. quem tinha saudades dos meus desabafos? ai maravilha. nos últimos dias tenho tido muita gente querida com saudades, que as minhas reflexões davam que pensar ainda que pudéssemos não estar de acordo. é bom de ouvir, mas não oiçam o que digo a seguir ;)

14 dias de isolamento para a família diz o sns. mesmo com vacinação completa levo com os 14, te tinha duvidas de os vacinar a eles já não tenho, não serve para evitar os constrangimentos sociais então se calhar não vale o risco. depois recomendou-me ficar de mascara os 14 dias enquanto trato deles, WTF?! estamos todos loucos. quem neste mundo acha razoável que uma mãe trate de seus filhos sem proximidade e mascara estando todos no mesmo risco de covid. loucura total. depois enviam um roll de 5 sms sem identificação das pessoas, ando a pesca de qual código bate com qual identidade para sacar uma referencia que não sai fácil e avisar a escola para não terem falta, e o trabalho já agora. entre isto uns berram e outros tentam pintar o sofá com as canetas que arranjam por aí. e a loucura voltou mas desta parece que foi só para mim.

quero muito passar este estado de fúria para o de aceitação. quero muito desligar e aproveitar tar com eles dentro do possível e não ter uma vida profissional hibernada. já não sei bem o que quero mas sei que na duvida a vontade de testar será sempre muito reduzida, já o meu marido 2 por dia estava perfeito.

perdoem este desabafo. estamos todos de saúde e isso é o mais importante. se assim não fosse não haveria espaço para furias right?

11/18/2021

My kind of love

 

um em cima do outro no maior i love you

Educar para a empatia. Para se deixarem tocar levar pelas pessoas boas da vida. Depois crescem e parece que se esquecem, culpa minha se calhar que não sou a expressão máxima dos afetos. Mas em babies não dá para não ser, e quero eu crescer para ser em babies, médios e gigantes dos beijos e abraços.

Pensamento piroso do dia. 

11/15/2021

fase de exaustão



à chegar às 3 semanas estamos a sair da fase de exaustão. pode voltar ao mínimo espirro bem sei mas passou a de adaptação 👐

voltar a acordar 3x por noite, levantar a bunda e fazer leites teve que se lhe diga. acordava com a sensação de que me tinha passado um camião ou 3 por cima. isso e depois entrar no trabalho a mil porque estou a lançar um projecto muito fixe dum mercado de natal sustentável que não podia de todo esperar pelas minhas horas sem dormir.

voltar a escrever num teclado em quando se dá biberons, ter um martim a pedir colo por tudo porque já não sabe andar e uma casa em alvoroço de emoções várias. foram 3 semanas de adaptação tal como quando nasce um bebé e temos de dar espaço.

tem sido giro ver o espaço que cada um dá de si e é glorioso quando chega um momento de silencio e nos rimos a pensar que ainda é possivel. ainda conseguimos ver filmes (ainda que só metade que eu adormeço), conseguimos ver séries e dar um tempinho individual a cada um deles. ja aconteceu o joao ir com todos ver o jogo do manel e até irmos todos almoçar fora. é possível malta, só não sei onde depois cabem as malas mas é possível.

num deste dias disse ai joão que se calhar esta ideia tinha sido areia demais para o nosso camião em logística. acho que disse isso de todos os filhos uns tempos depois de virem para casa e até chegar ao ponto de equilíbrio (talvez tenha so dito a partir do xavi), aqui este começou com refluxo e uma logística acrescentada. o martim no seu pico de maior de ciúmes em casa dos sogros e o peso de te sentires mal com as birras descontroladas fora de casa, nunca me preocuparam muito mas aqui é tudo novo mesmo para os outros e preocupa-me o descontrolo sempre. foi por pouco tempo e já passou, pode voltar com os espirros do inverno mas para já estamos bem. 

há visitas à familia de origem 2x semana, há leite especial, há corrida ao osteopata e há a impossibilidade de ir com ele ao medico normal porque ainda não está registado. coisa que trataremos em breve. continuamos com consultas dos outros em atraso mas no essencial estamos todos no tempo certo e a lareira que vamos acendendo diz isso mesmo.

este novo projecto tem sido muito bom em nós. venha de lá esse mercado de natal que nós conseguimos tudo. right joka?

sinto que é desta que me vais deixa de pedir mais babies ahaha

11/04/2021

o impacto dos primeiros dias de vida

há quem diga que o dia e a hora que nasces define muito do que vais ser, ficas a encaixar num signo e num ascendente que não muda o resto da vida. fico a pensar se tem ou não a ver com a estação e a maneira como depois aprender a gerir o quente e frio que vem a seguir. 

depois há o cenário onde nasces, onde como e rodeado de quem, e esse por estranho que pareça não se desenha em signos ou cartas da vida mas dá-me impressão que é o que mais nos define.

já sabem de cor a historia do martim, a incubadora e depois os cuidados intensivos, o tanto que lhe prometi colo infinito em troca de melhoras grandes e pequenas, o tanto que chorei a dizer que depois disso não o largava mais a maquinas sem contacto humano. pois bem, se a culpa é dele ou minha nunca vamos saber, o que sabemos é que ele hoje é o meu bebé mais físico. o que precisa de aperto e que aparece a meio da noite na nossa cama para dormir em conchinha ou fica só ali com um braço a tocar no quente de cada um de nós. quando em fúria quero um espaço para mim lembro-me que lhe prometi infinito colo e lá vai mais um beijo lambido a meio da noite com um adoro-te. não sei se é causa ou consequência, talvez seja os dois mas não podemos mudar o que o passado nos marcou e diz que amor nunca é demais. mimado do caraças em linhas simples talvez, eu claramente não lhe resisto.

penso nisto agora com este baby nos braços. tendo compensar e a cada vez que preciso de mãos e ele nao larga o colo penso que temos de fazer por ele o que fazemos pelos nossos para este healing que não sei bem a extensão nem as consequências, espero que nenhumas até porque daqui sairá um dia para um cenário de muito amor e uma mãe que eventualmente não vai ser tão permissiva quando eu no filho mimado ahaha, ou se calhar vai e isso não será assim tão mau after all. liguei à mafalda Navarro, psicóloga de bebes, perguntei-lhe tudo o que podemos fazer para se sentir seguro e amado incondicionalmente. falou em colo infinito (esquece lá as mãos), falou em dar leitinho logo que acorda para que nunca sinta que vai ter fome e falou em rotinas. tudo coisas que damos aos nossos sem pensar, tudo coisas que daremos a este bicho querido.

uma semana depois estamos estafados, menos do que há uns dias e isso são boas noticias, mas muito contentes de poder fazer parte da historia de amor deste miúdo. contentes com as emoções que isto gera nas pessoas à nossa volta que se comovem e querem vir cá conhecer e dar colo a este miúdo e é maravilhoso. ter estrutura família e amigos é tudo de facto e daremos o melhor para que isso nunca lhe falte.

uma semana depois é nisto que penso.

como vamos desse lado?


martim sempre agarrado ao porco e sempre que possivel a dormir em cima de mim, aqui numa sesta ao sabado


10/30/2021

ser família de acolhimento. o tão aguardado dia chegou

 o tão aguardado dia chegou e, como esperado, veio não anunciado.

saída de um fim de semana de desbunda em barcelona com amigas, acordada às 3 da matina para apanhar o avião, aterrar nos anos do martim, montar a festa, soprar as velas e deixa-lo na escola enquanto sonhava respirar para o tal lanche ajantarado e mais bolo e mais parabéns. trabalho para pôr em dia e uma semana com tanto trabalho que a sensação é que nunca está de facto em dia. praqui e prali a resolver cenas, lembrar que tenho de marcar dentista para o zé e cai um email mágico lá para as 11h: acolhimento familiar, temos um caso para vos apresentar.

niervos. mensagens para joão e joão para mim no meio das calls. combinado ligar asap que a reunião é as 14h e queremos sentir o que sente o outro. e agora joão? só precisamos de saber o que dizer se forem 2. achas que são?, pergunta ele. não faço ideia, não fazemos a mínima ideia mas vamos. bora. se forem dois não cabem no carro, diz ele. pedimos ao teu pai e andamos em dois, paciência, não vamos deixa-lo lá e o teu pai é de causas sociais vai perceber. combinado. beber café com mãos a tremer e despachar tudo o que temos em mãos para dar toda atenção à reunião das 14h.

teams on e são 14h. as assistentes sociais do lado de lá e nós cada um de seu sitio. estamos on e a sensação é de uma adrenalina incrível. como quem tá numa eco a saber o que aí vem. e elas começam a descrever e nós começamos a ficar de coração acelerado. é preciso para ontem, tem 2 meses e tá pronto para vir cá para casa. aceitamos tudo sem ver quase nada, já sabíamos que assim seria e horas depois combina-se date para as 10h do dia seguinte.

tiro a manhã seguinte, lavo as roupas, oriento o berço, compro leites, fraldas, enquadramos os miúdos a tempo de despachar o trabalho e montar o tal lanche de anos do martim. neste dia em que fez 3 anos e que olhei para ele de manhã a pensar que já não tínhamos bebé em casa (até engana porque quer ficar bebé para sempre mas tem mm de deixar de ser.)

apesar da quase directa foi preciso um chá noite tranquila para me por a dormir. tudo em nós era emoção. manhã seguinte deixamos cada um sua escola e fomos ao lugar combinado. ovo na mão com a sensação estranha de que vamos buscar um baby, joão relembra que esta é a sensação normal para ele e rimos. encontrar as assistentes, subir o elevador e chegamos à sala onde está ele, tudo de mascara e ele a rir enquanto adormece de sono. maravilha. estanho não se parecer com nenhum de nós e não o termos sabido nada dele até aqui, ao mesmo tempo a sensação que vamos estar ligados para sempre.

muitas fotos para o livro que o acompanhará a vida toda com a historia dos seus primeiros tempos. despedidas e lá voltamos a casa com um baby em mãos, a responsabilidade de uma vida e toda uma logística por voltar a ordenar. não sei se estou preparada para não dormir e para voltar ao caos de quem tem de se focar num e deixar os outros em autogestão uma beca. sentir a emoção nossa e deles tem sido maravilhoso, eles sabem que ele não fica para sempre mas estão a dar tudo para que sinta como um deles. Martim um bocadinho ciumento como seria de esperar, todos os dias melhor.. hoje viu que chorava e foi pôr-lhe a chucha. dizemos que é o bebe dele.

gostava de vos escrever muito mais mas tenho de ir dar leite e vestir calças ao martim que anda nu. aqui fica este ralado de amor caótico, até conseguir voltar




10/17/2021

Desfralde. Notas de penico para não me esquecer

zé e martim levam a belém a passear

 Zé precisava de ir a casa de banho e levou o martim para o ensinar disse ele.

"Vamos os dois e tu fazes no penico", disse ele.

Fecharam-se os dois, Zé ajudou o martim a tirar cuecas e lá estão os dois a conversar sentados no trono. Não sei como vai acabar mas é desde já uma delícia que não quero esquecer. (Mesmo que acabe em cenas por todo o lado e por isso escrevo já, não vá depois não ter vagar).

10/11/2021

Família de pais separados. família muito mais que moderna

Somos parte de uma família muito mais que moderna. filhos dos casamentos originais que depois se refizeram noutros e trouxeram irmãos que não tendo o mesmo sangue partilham tudo o resto com a mesma intensidade. temos um lado e temos o outro. temos ausências de peso e temos reconstruções com mais pessoas e mais amor. temos capacidade de ajuste e acima de tudo uma grande vontade de estarmos juntos e que dê certo. queremos genuinamente o bem de todos e num fim de semana como o destes é mesmo isso que se sente. ontem acordei com um irmão a precisar de boleia, boleia essa dada logo prontamente pelo outro irmão do quadrante exatamente oposto. não sei se se conhecem mais do que da troca de croquetes num qualquer batizado de algum dos sobrinhos, mas se precisas e fazes parte do clã: vem daí que vamos juntos.

se há dias em que as emoções se baralham no caos da genealogia e nos espaços demasiado comuns, há outros em que tenho a certeza que somos todos melhores porque aprendemos isto de nos dar sem medida ao que faz sentido a um dos nossos. aprendi e cresci numa casa onde havia sempre espaço para mais um e esse mais um era sempre festejado. juntos somos mais fortes ainda que precisemos muito de saber estar sozinhos também.

ontem foi um dia importante porque batizamos um sobrinho querido. cada um de nós recebeu uma mensagem especial de seu pai armado em mensageiro e foi delicioso. ontem à mesa cheia de tudo o que enche a vida era fácil ver a sorte que temos de nos termos todos. que o egoísmo nunca nos faça ver de outra maneira, e quando fizer que este amor nos traga de volta. 

teve isso e teve campo. li 478 páginas dum livro em 2 dias. houve muita paz nestes dias.


os 4 de jardineiras pelo campo com a belem

martim e xavi pelo campo. a preto e branco

preto e branco deles pelo campo

foto que faz lembrar o antigamente







10/01/2021

hello october

bem vindo outubro. leva contigo o caos de setembro, esse mês sempre cheio de emoções. a vida é feita de fases e haverá uma em que sonharei pelo kit regresso às aulas, ou outras como esta que penso como é que em cima disto ainda se forravam todos os livros?!

dizer-vos que me está a saber pela vida não ter redes sociais. que tenho saudades de conversar com algumas pessoas que só fazia por ali mas o beneficio de não saber o que o resto do mundo anda a fazer me está a compensar muito. acordar sem a pressão inconscientes das vidas do mundo e olhar só para as nossas. não sei o que está na moda e isso dá-me uma liberdade inesperada. não sei se esperava tanto desta saída porque na verdade era um mundo.

é isto. vamos outubro, sinto o teu calor mais gelado a entrar.



eu e joão na pista de dança do tal casamento

 

9/30/2021

3 anos que morreu a mãe