E se vier outra vez com t21?

Pensa um em voz alta e o outro diz e se vier com autismo, ou cego, ou surdo, ou sem um braço, ou uma mão? E se não vier com nada mas acontecer à nascença, o parto corre mal ou tem uma doença qualquer que apanha lá ou que aparece? Ou vamos a sair do hospital e temos um acidente gravíssimo.

Se pensarmos em tudo o que pode correr mal não temos mais filhos e ficamos agarrados aos nossos para ter a certeza que não lhes acontece nada.

Esperámos pelas 12 semanas como manda a cartilha e vimos que não há razão para suspeitas. Não vamos fazer mais exames.

Se temos a certeza? Nunca teremos, mas não nos tira o sono nem pensamos muito nisso. Mas claro, não dava jeito nenhum, as terapias são caras e o dinheiro não dá para tudo.

Como no resto vamos gerindo um problema de cada vez e para já o único que temos é aquela pilinha espetada que se viu na ecografia. Será que desaparece? Era desta que vinha mais uma princesa e nada, fui enganada.

rosa amado

1 comentário:

  1. ah, ah!
    cá em casa também são 3 rapazes e este ultimo às 12 semanas era claramente uma miuda! (disse-me o sr. da ecografia...)
    na consulta seguinte, eco de rotina e lá vi eu uma pilinha muito espetadinha!!
    caramba! há sempre a vez seguinte, dizem todos.
    Eu já me conformei, vou ter que ser uma excelente nora e laços, folhos e fatos de banho de favos para sobrinhas, sobrinhas emprestadas, afihadas e um dia mais tarde netas!
    E os seus filhos são lindos, este não vai ser exceção :)

    ResponderEliminar