Missão País

Vim das missões e aconselho a qualquer pessoa, seja ela religiosa ou não. 

Muitos não devem fazer a mínima ideia em que consiste as missões, eu só tinha ouvido falar, não sabia profundamente o que era. No entanto, como sabia que o objectivo era fazer voluntariado, aceita-se sempre e a vontade é sempre dizer sim.


Vai-se portanto para uma aldeia e procura-se ao máximo as suas necessidades para que depois nós, missionários, possamos ajudar.


Fomos para Moura ajudar e participar nas actividades de Moura e assim distribuídos pelas instituições que existem por lá. Eu fiquei no lar S. Francisco, ao início pensei, o que é que podemos fazer para mudar o dia deles, muitos deles não se mexem, nem nos devem querer ouvir ou já não querem saber se estamos interessados em estar ali para eles.


 Mas surpreendi-me, fomos a pequena felicidade do dia deles, passávamos os dias a ouvi-los, muitos tinham Muitas histórias por contar, só precisavam que alguém os ouvisse, outros achavam que já não tinham nada a dizer, achavam-se velhos e nós tentamos mostrar-lhes que estávamos ali porque eles não eram "velhos" e que na testa não dizia, "já não valho nada", pelo contrário, valem muito mais que muitos de nós que desperdiçamos a nossa vida com coisas inúteis. 


E nós que vamos com a intenção de ajudar e sermos úteis e que eles possam beneficiar da nossa disponibilidade, a coisa inverte-se, os voluntários é que acabam por usufruir e quando tudo acaba, ficam os idosos mais uma vez sozinhos. Isso deixa-me bastante triste e só me apetece trazê-los para minha casa e dar-lhes toda atenção, encher-lhes de beijinhos e ficar três horas a ouvi-los, eles adoram atenção e isso para nós lhes disponibilizarmos não é nada. 


Para além do voluntariado, as missões ajudam-nos a estar com Deus, a pensar mais nele e a falar mais com ele, também ajuda a estarmos mais connosco, a pararmos e rezarmos um bocado por nós e pelos nossos, ajuda a pensar na nossa vida e chegar à conclusão que ainda há tanta coisa a melhorar e organizar. Não só, serve simultaneamente para quem não é religioso, pois ajuda-nos a Pensar em nós, a organizar os nossos planos de vida e tem a parte do voluntariado.
Na minha cabeça só me passa a vontade de ter ficado mais uma semana, mas esta semana foi óptima para me reencontrar e reconhecer muita coisa perdida.


Agradeço a todos da ESEL e intrusos que me acompanharam nesta experiência. 
Obrigada Deus por mostrares o teu poder e a tua humildade, estamos juntos.

Tânia Amado

1 comentário:

  1. Olá Tânia! se fizer-te sentido no teu percurso e momento de vida, vai ver hoje a apresentação do MSV - Movimento ao Serviço da Vida. Será na Igreja de Santa Isabel, às 21h (porta à direita da igreja). O MSV tem um grupo que é o Grupo GAFE (grupo acção e fé), que tem reuniões de oração e reflexão 2x mês (a maior parte das pessoas em idade universitária), missões na Serra Algarvia (Alcoutim), ao longo do ano (1 fds por mês) e há também a possibilidade de integrar um projecto missionário de 2 meses na Ilha do Príncipe, São Tomé e Principe.

    ResponderEliminar