O cabelo de tonto

Enquanto não falam, tenham dias ou meses, a conversa frequente é a fome ou frio que têm.  Para os avós têm sempre dos dois, para os tios têm sempre de menos e para o resto divide-se mas há sempre opinião. Até eu que aqui estou a criticar ontem mandei os meus bitaites, e qualquer coisa que vem de dentro e só dás por ela quando já saiu.


Depois crescem e quando já é óbvio o que sentem porque falam, a malta pega no segundo tema mais giro que é o cabelo. Para uns está grande, para outros pequeno, ou torto na franja ou tem uma cena nas patilhas. Se calhar é isso tudo mas às tantas está assim porque os pais gostam, discutível eu sei mas muito válido.
Dentro deste tema tenho um problema grave com o zm, se com o manel é indiferente e sigo o que dizem [ "esta comprido!" "Pois é adoro comprido", "está curto" "adoro curto"], com o zm a cena é diferente. Independente do que me digam sinto que está com cabelo de tonto. E vocês dizem, ahh e tal tem trissomia é normal coitado. Mas não, há malta com trissomia com cabelo normal, e outros tantos sem o tal cromossoma mas com cabelo de tonto. E por isso, levei a missão de "zé com cabelo impecável" como a mais importante da minha vida e estabeleci um plano: ninguém mais lhe tocava até crescer o suficiente para um expert cortar e me ensinar o truque.


Estava a correr bem até há dois dias. A franja foi crescendo, as patilhas também e até estava a ficar com uma ligeira rulote atrás mas eu estava feliz. Vais qualuqer lado e lá está és bombardeada com comentários ao cabelo do crianço. Aguentei firme. Aparentemente ainda havia quem achasse curto, incrível. Até que na última semana os comentários intensificaram-se e começaram a roçar o bulling, não com ele mas com a incompetente da mãe que não lhe corta a franja e o menino não vê. A minha mãe é perita nessa pressao psicologica e quando não vai lá com a tesoura começa a mandar fotos dele de bandolete. Mais 10 minutos daquilo e o miúdo não sabe ler porque não vê.


Tomada pelo demo, a consciência começou a pesar e não resisti à tesoura das unhas mesmo antes de o pôr no banho. Ele não parou, a tesoura não era grande nem direira e eu não tenho jeito. Combinação perfeita. Lá agarrei dum lado e puxei do outro e pimbas, ficou toda torta. Mas não tá comprida, nem curta, ta comprida e curta dependendo do ângulo. E quando se põe para o lado está quase perfeita. 


E pronto, voltei ao tonto mais uns dias, ou meses. Até que volte ao tamanho suficiente para o supra sum da barbatana cortar. Shame on me.


Dito isto o tema do cabelo nunca vai deixar de surgir, é como o frio ou fome, há sempre qualquer coisa a acrescentar!

[dia antes do corte . Do depois ainda não há registo, conseguir agarrá-lo para cortar já não foi mau]

rosa amado

2 comentários:

  1. Oh, está gríssimo!!!! Queremos ver fotografia do corte actual. ;)

    ResponderEliminar
  2. Também corto o cabelo aos meus filhos e também sinto a pressão de que fala! Mas nunca experimentei com a tesoura torta das unhas. Fartei-me de rir, com o relato do corte do cabelo. Na foto estão maravilhosos!

    ResponderEliminar