avaliações fim de ano

uma às 9h30 e outra Às 10h.
vamos em carros separados porque depois ele trabalha e eu volto para a boa vida.

primeiro é a do manel e já sabia que ia chegar atrasada. está lá o joão. chego 5-7 minutos depois e acabou. estava a professora e o joão. fazem-me o resumo de que está tudo bem.
lista infindável de adquiridos e em aquisição, quase tudo adquirido. de referir que não gosta de ser contrariado e tem que melhorar a motricidade fina, esta da motricidade fina é nova mas de resto já sabíamos. temos de trabalhar isso mas sem stress porque há tempo parece-me. tudo bem portanto.

logo de seguida a mesma história mas como temos mais um cromossoma trazemos mais uma equipa de terapeutas, e uma professora de ensino especial. fico nervosa só de a ver, nada contra a sra coitada, mas fico.
mais uma lista infindável de adquiridos e em aquisição, desta vez temos um meio meio, talvez mais para os adquiridos e menos em aquisição. fico contente só por isso, não está perfeito mas está em aquisição. reparo que há uma terceira fila de não avaliado, aparece quando ainda não tás no ponto de avaliar essa competência, tínhamos um ou outro nessa também. faço contas às cruzes e fico contente.
e depois o pedro falou de tudo o que não cabiam nos quadradinhos, de tudo o que ele cresceu e de tudo o que já aprendeu. o mesmo fizeram as terapeutas. poesia para os nossos ouvidos bem sei, mas sabe bem até a uma pessoa de números como eu.
o pedro acha que a maneira mais justa de avaliar o zm talvez não seja por tabela, eu cá gosto dela. é dura numa primeira vez que a olhamos de frente mas não tenho muito medo daqueles em aquisição, lá chegaremos se calhar com mais stress e menos tempo que o manel mas chegaremos.
e quero que seja avaliado de acordo com os mesmíssimos critérios que os outros, porque quero saber e ter os pés na terra apesar de tantas vezes ele nos fazer viajar. porque se vivemos na mesma sociedade então ele vai ter de encaixar na tal tabela e até ser bom nela. mais depressa ou mais devagar, arranjamos tempo.

depois devagarinho vem a professora de ensino especial de quem fujo a sete pés exactamente pelo que escrevi 2 ou 3 linhas acima. não quero que ela adapte nada e não quero que o trate de maneira especial, mas devia. joão dá-me aquele toque com os olhos e lá saio da postura de "larguem o meu menino" e aceito a tal ajuda. diz que não vai mudar os objectivos mas que se vai sentar com ele na sala uma vez por semana para o ajudar, mais um par de braços dá sempre jeito e começo a gostar dela. depois explica-me com calma que preenchendo uma papelada ainda me pode ajudar a ter umas terapias financiadas e o amor aumenta ainda mais.
acabamos muitos minutos depois com beijinhos e abraços, o pedro vai embora e vai deixar saudades.
ficam as outras equipas que sempre foram tão nossas amigas uma nova professora e turma dos 3 aos 5 anos e um novo amor por esta professora, chamemos-lhe especial, que espero que continue a crescer.

no meio de tudo isto chegaram as notas da tania mas sobre essas contamos mais tarde, porque agora é tempo de concentração e esta nossa filha não é amiga de pressão e stress. por isso tal como para os outros vamos gerir o stress e o tempo e tentar fazer uma boa combinação.



rosa amado

Sem comentários:

Enviar um comentário