xavi não anda não anda

tem demorado nos primeiros a andar como deve ser e acabo por achar engraçado.

temos prazos para tudo e a vida orienta-nos com metas para não perdermos o fio à meada. e faz sentido. 
mas depois vem um fora do baralho que nos vira o jogo e começamos a olhar para as metas com outra ligeireza.
lembro-me da primeira vez que entreguei o zm ao génio da Célia [terapeuta ocupacional] com um ano e meio e lhe disse "ele tá bem mas queria era que andasse. era bom para ele poder ter mais liberdade e explorar tudo como mais ligeireza. daqui a quanto tempo é que acha que ele anda?". ela quase que se riu. disse que não tava nada preocupada com isso, que antes disso queria que ele coordenasse bem o lado direito e esquerdo, que gatinhasse que nem um olímpico e toda uma vasta lista  de cenas que me pareciam totalmente secundarias.
aceitei meio trombuda. sabia disso tudo mas era fixe puder dizer que o meu filho já andava. é que às tantas como é que uma pessoa justifica que com 1 ano e meio o miúdo ainda não anda? 

2 anos e 1 filho depois a resposta é: não justificas. não porque não tem justificação mas simplesmente porque na verdade nada disso interessa. interessa que ele se vá construindo na direcção certa, sem grandes dramas. interessa ir vendo e acompanhar está claro, mas a justificação a dar ao mundo: que sa lixe.

e a provar isso vem o xavi a dar cartas. 1 ano e picos e andar só mesmo ao colo da mãe [ou da liza]. chorar muito se a vê desaparecer e tudo o resto parece secundário. 
já foi apanhado a andar às escondidas mas não perde a compostura se vê que o veêm atira-se para o chão e lança os braços a pedir colo como gente grande.

e na ligeireza da vida aprendi a achar isto até giro. raio do puto tem um feitio tramado. e as dores de costas não perdoam, mas se precisas que te leve mais uns passos eu levo baby. tenho impressão que em mais velho vais ser dos que foges. há que aproveitar agora.



rosa amado

Sem comentários:

Enviar um comentário