do ultimo julho para este

escrever ao julho de 2015 e dizer-lhe que ia correr bem.
depois de um ano espectacular em que assistimos a um crescimento gigante da nossa tanica, julho passado veio com um enorme balde de água fria, o tal exame.

o exame dela que passado um ano correu mal, um ano em que ela foi excepcional mas que na hora h teve medo de brilhar. e um balde de água fria. o que seria depois, o que seria agora.

o balde foi de água fria não foi pelo chumbo que não houve, foi por saber que às vezes mesmo quando nos empenhamos de verdade há outra cena que nos impede e não vamos tão longe como aparentemente merecemos. isso tudo e o medo das consequências do que vem a seguir.

refazemos os passos na cabeça e pensamos como poderíamos ter ajudado mais, como podiamos ter-lhe dado mais força. falamos com as professoras e tentamos assistir de fora para tomar decisões de uma vida que é nossa, dela, mas nossa.

Passada a tristeza inicial foi preciso fazer caminho, decidir que ficaria num curso que não queria tanto e depois tentar mudar ou investir no que parecia ser tudo o que queria ainda que sem certezas de nada. porque aos 20 não temos certezas de nada e aos 30 e picos não sabemos assim tanto de futuro.

verão de introspecção e decidimos pela segunda, por achar que seria o melhor para ela. mas isto de quase decidir por eles tem um peso que nunca tinha realizado verdadeiramente. é que isto de os deixar a eles ir e decidir é duma dificuldade que defendia e defendo em teoria mas que dá umas insónias incríveis na prática. e lado a lado vamos indo.

e assim foi. lado a lado seguimos e um ano volvido não consigo conter em mim o orgulho da mensagem que recebi dela com o resumo das notas: um 14, um 15, um 17, um 18 e mais dois testes que correram bem por receber. numa delas a melhor da turma, noitadas de estudo empenhado, manhãs de trabalhos de grupo e chega a ser explicadora de colegas de turma.

querida tanica, não sei o que o futuro nos reserva, nem do teu nem do meu. mas fico orgulhosa de ti e de nós por termos decidido este caminho de empenho e dedicação teus, por saber que tantas vezes quando damos o melhor de nós o melhor também acontece e tu my love, mereceste isto tudo.

por tudo isto, ao julho do próximo ano, não sei se terás cenas diferentes para me contar, mas ao do ano passado posso garantir que vamos no bom caminho. 



rosa amado

Sem comentários:

Enviar um comentário